Câmeras térmicas Dahua e Hikvision violam padrões internacionais e colocam em risco idosos

Câmeras térmicas Dahua e Hikvision violam padrões internacionais e colocam em risco idosos

Câmeras térmicas Dahua e Hikvision violam padrões internacionais e colocam em risco idosos na França e na Escócia, reporta a IPVM. O site organizou registros da aplicação de câmeras térmicas das marcas chinesas em casas de repouso de idosos na França e na Escócia, além de alegações de representantes das próprias marcas, e concluiu que seus produtos oferecem riscos às vidas dos idosos nesses locais porque violam as normas internacionais de detecção de febre.

Acima, trechos da reportagem mostram violações às normas IEC/ISO e da FDA. Segundo a IPVM, essas câmeras não fazem uma detecção confiável por uma série de problemas: elas são posicionadas de forma inadequada, viradas para janelas e passagens onde há sol, por exemplo. Não se faz a medição na área do ducto lacrimal como mandam as diretrizes, mas sim em áreas inadequadas como a testa. A testa não representa adequadamente a temperatura corporal indicadora de febre. Além disso, uma pessoa com franja comprida já teria problemas para ser detectada. O ângulo de inclinação das câmeras Dahua, de qualquer forma, aumenta os problemas leitura dos cantos mediais dos olhos, de acordo com a reportagem, pela facilidade de obstrução. A medição correta é feita com uma câmera alinhada horizontalmente à altura da pessoa, conforme indicam as diretrizes.

Falsos negativos nas medições seriam constantes nesse caso. O sistema se torna irrelevante no local e aumenta o risco de infecção por pessoas contaminadas. O artigo completo está disponível no site da IPVM e pode ser lido em: ipvm.com/reports/hikua-nursing. As empresas já tiveram outras complicações legais no passado e chegaram a ser sancionadas pelo governo dos EUA. Frente às alegações da reportagem, Dahua e Hikvision não responderam até o momento.

Câmeras Térmicas Instaladas Inadequadamente Preocupam Especialistas, reporta Fox

Câmeras térmicas instaladas inadequadamente para triagem de febre estão causando preocupação em especialistas, como reporta a Fox News nesta semana. Essas câmeras não seguem protocolos corretamente e se tornam irrelevantes para o uso que estão prometendo.

O sistema de triagem de pessoas com temperatura elevada por câmeras de infravermelho é uma medida muito útil de proteção para empresas que estão retornando às atividades na pandemia. Ela permite identificar, de forma autônoma, pessoas potencialmente com febre, que é um sintoma da Covid-19. No entanto, aproveitando essa demanda, diversas marcas têm oferecido câmeras inadequadas, que são instaladas de forma incorreta e violam normas internacionais para medição. Os problemas podem ser diversos: resolução insuficiente, posicionamento inadequado, leitura no local errado do rosto (como na testa), medição de várias pessoas simultaneamente, etc. Todos esses aspectos contrariam critérios rigorosos ISO e o sistema se torna totalmente ineficaz.

Infelizmente, esse tipo de uso errado compromete a credibilidade do sistema. Conforme disse o Professor da Universidade de Utah, Rajesh Menon, as câmeras devem ser tratadas como mais uma forma de combate à crise do coronavírus, assim como as máscaras de proteção, o isolamento social e, eventualmente, a vacina. Mas elas precisam ser usadas com critério.

Dúvidas? Conheça mais sobre o sistema de triagem de Temperatura Corporal Elevada em: www.poliscanbrasil.com.br/covid19

Mais Notícias

Deixe um comentário