SOBRE

Perguntas frequentes sobre o uso da termografia médica


Perguntas frequentes sobre o uso da termografia médica:

A Termometria cutânea ou Termografia clínica, como é mais conhecida é o método mais inovador e moderno de diagnóstico por imagem digital da atualidade. O termo termografia vem do grego θερμό (thermo), significando calor; e γραφία (grafia),que significa escrita.

Quem pode se submeter ao exame?

A termografia é um exame não invasivo, indolor e não emite nenhum tipo de radiação ou efeito colateral. Portanto pode ser usado até em crianças, idosos e grávidas. A Termografia pode-se ser repetida quantas vezes for necessário, sem risco ou dor para o paciente. 

A realização do exame

Para a obtenção de imagens de infravermelho padronizadas na prática médica, devem ser seguidas as seguintes recomendações gerais:

O ambiente do exame deve ser com controle de temperatura ambiental em 23º C e com umidade relativa menor que 60%

A área a ser examinada deve permanecer descoberta e é fortemente aconselhável que toda a roupa deve ser removida.

Há um período de 10 a 15 minutos em repouso de pé para a estabilização térmica do paciente sem roupa

O paciente deve evitar:

Banho demorado e com água muito quente.

Fisioterapia, massagens, caminhadas prolongadas, sauna.

Evitar, se possível, ter barba e pelos corporais para a melhor obtenção do resultado.

Não realizar depilação 24 horas antes do exame.

Refeições copiosas, preferir fazer o exame após 1 hora da última refeição.

Ingerir chá, café, chocolate quente até 1 hora antes do exame.

Usar roupas apertadas.

Confere todas as recomendações de preparo na pergunta Como se preparar para o dia do exame?

Durante o período de estabilização térmica:

Evite tocar o corpo ou coçar-se.

Encostar-se na parede.

Mascar chicletes ou bombons.

Conversar com acompanhante.

Elementos de um termograma:

A imagem térmica completa com dados de medição é denominado termograma, que é a representação gráfica dos valores térmicos obtidos pela câmera de infravermelho. Um termograma contém os seguintes itens:

  1. Corpo: composto por todos os valores de temperaturas obtidos, distribuídos numa matriz numérica que depende da resolução da câmera. Equivale a parte do corpo do paciente captado na imagem
  2. Fundo: Conjunto de pontos da parede que fica por trás do paciente. A temperatura deve ser hiporradiante em relação ao corpo, Isso facilita a definição da silhueta. Deve ter uma temperatura com variação abaixo de 1°C, refletindo a estabilidade térmica do ambiente.
  3. Escala colorida ou em tons de cinza: barra multicolorida localizada na periferia do termograma, onde ocorre a associação visual da cor com o valor equivalente da temperatura. É uma referência de baixa precisão com margem de erro definida pela exatidão da câmera, por exemplo se a exatidão for +/-2ºC seria em torno de 2 °C.
  4. Temperatura máxima e mínima: o software informa os valores da temperatura máxima e mínima.
  5. Range: É a diferença entre os extremos de temperatura detectados. Reflete a capacidade de detecção da câmera. Exemplo: Um ser humano varia a sua temperatura cutânea desde 25°C aos 40°C, o range do equipamento deve poder ler 30% acima e 30% abaixo do span (limites de temperatura), assim, neste caso, o range deve ser de 19,9°C a 45,1°C.
  6. Span: É a diferença algébrica entre os limites superior e inferior do termograma.
  7. Resolução: É o mínimo de diferença de temperatura que o sensor consegue discriminar entre dois pontos diferentes. O ideal é de abaixo de 0,1°C, fixada a 1 metro de distância. Quando maior a resolução mais nítidos são os termogramas.

Características mínimas para imagem térmica clínica

As imagens térmicas são captadas com uma câmera termográfica. No mercado existem vários produtos, mais para a termografia clínica uma câmera deve ter 320 x 240 (76800) pixels ou mais. Outras características são a precisão térmica em milikelvin (mK) e a exatidão na medição da temperatura, ou seja, qual é a margem de erro da medição em um ponto.

Aviso: Câmeras com menor resolução tem alto falso positivo e podem levar a erros de diagnóstico.

Indicações

O uso da termografia de infravermelho pode beneficiar diversas especialidades médicas, porque reflete um sinal fisiológico básico, segue algumas indicações:

  • Avaliação do risco de câncer de mama e distúrbios da tireóide
  • Avaliação funcional do sistema neurovegetativo simpático
  • Distúrbios inflamatórios, imunológicos, hormonais
  • Síndromes dolorosas toraco-abdominais viscerais
  • Ulceração em pé diabético ou úlceras de escaras
  • Neuropatias periféricas e centrais
  • Distúrbios microvasculares do corpo humano
  • Insuficiência arterial periférica
  • Dores miofasciais, neurológicas
  • Vasculites, varizes, varicocele
  • Lombocervicobraquialgias
  • Acidente vascular periférico
  • Reperfusão de órgãos transplantados como: rins, coração, fígado
  • Mapeamento da atividade vasomotora em síndromes dolorosas
  • Avaliação de estresse em pacientes no centro cirúrgico
  • Avaliação de flaps cutâneos em cirurgia plástica
  • Avaliação e monitorização de lesão de tecidos moles: cotovelo de tenista, síndrome do túnel do carpo, miopatias, pontos gatilho, compressão de raízes nervosas
  • Testes de drogas anti-inflamatórias e vasoativas
  • Acompanhamento da evolução dos pés de diabéticos
  • Lesão do esporte e do trabalho LERDORT
  • Distúrbio de ATM
  • Diferenciação das síndromes dolorosas complexas
  • Síndrome dolorosa complexa regional
  • Distrofia simpático reflexa
  • Síndrome fibromiálgica
  • Diferenciação entre fibromialgia e síndrome miofascial
  • Síndromes Miofasciais (dores musculares lombares, torácicas, cervicais, dos braços, antebraços, coxas, pernas e ombros)
  • Neuropatias periféricas (Polineuropatia diabética, Síndrome do Túnel do Carpo, Neuropatias traumáticas, Neuropatias pós-herpéticas e Síndrome Complexa de Dor Regional)
  • Radiculopatias (Hérnia de disco lombar e cervical)
  • Mielopatias ( Traumatismo raquimedular e compressões tumorais medulares)
  • Disfunção miofascial
  • Tendinopatias
  • Dores pós Acidente Vascular Cerebral (AVC)
  • Disfunção da articulação temporo-mandibular e outras dores oro-faciais
  • Investigação de Cefaléias (Dores de cabeça)
  • Artrites, Tendinites, Bursites e Fascites Plantares
  • Diferenciação entre artrite e artrose
  • Acupuntura termoguiada

Para quem é indicada?

A emissão de calor da superfície do corpo humano é um processo dinâmico que pode ser alterado em diversos estados patológicos. A termografia, por ser um método de diagnóstico por imagem que capta e registra a temperatura do corpo humano, permite a detecção de alterações fisiológicas de grande importância com reprodutibilidade. Assim pode auxiliar no diagnóstico precoce, terapêutica e o monitoramento de tratamentos.

Ao contrário de outros métodos de diagnóstico de imagem, a termografia é um exame funcional e não anatômico. Detecta problemas fisiológicos como disfunções, revela o equilíbrio do Sistema Nervoso Autônomo e mostra áreas de dor, que são invisíveis para outros exames médicos.

Além de dor, detecta alguns tipos de câncer como o de mama ou da pele.

Veja as aplicações na imagem abaixo

perguntas frequentes sobre o uso da termografia médica
perguntas frequentes sobre o uso da termografia médica

Quem pode fazer o exame?

Não existe alguma limitação no uso da termografia, requisito indispensável é concluir um curso de treinamento

Art.4, § 2º : Com relação aos programas de prevenção (rastreamento) de Câncer ou lesões de esporte/trabalho ou risco cardiovascular, não há impedimento para a participação de diversos outros profissionais de saúde que não são médicos, na realização dos exames.

Como se preparar para o dia do exame?

Os pacientes devem seguir as seguintes recomendações antes de um exame de termografia:

Evite expor-se excessivamente ao sol

Não se submeta a massagens

Evite atividades ou terapias que aqueçam ou esfriem demasiadamente o corpo

Não realiza atividade física corporal intensa

Evite banhos muito quentes no dia do exame

Não use cremes, pomadas, filtro solar ou maquiagem no dia do exame.

Não use cosméticos (hidratantes, desodorantes, perfumes, etc,…)

Não usar sutiã ou roupas muito apertadas no dia exame.

Deve remover a barba e aparar pelo no corpo antes do exame, mas não deve se depilar 24 horas antes

Consultar a suspensão de remédios com o médico (analgésicos, anti-inflamatório, calmantes, , medicação para tireoide, etc)

Até 3 horas antes do exame:

1.   Não fumar;

2.   Evitar a mamentação

3.   Não ingerir bebidas estimulantes (cafeína, alcoólicas);

4.   Não se depilar ou barbear;

5.   Evitar refeições copiosas, preferir fazer o exame após 1 hora da última refeição

6.   Não usar descongestionantes nasais;

7.   Retirar aparelhos imobilizadores.

8.   Consulte com o medico se seria melhor usar lentes invés de óculos.

Confira no nosso site o consultório mais próximo de você para solicitar seu exame

Como foi descoberta a termografia?

A descoberta da radiação infravermelha é atribuída a Willian Herschel, um astrônomo, antes do século 19. O William Herschel tentava descobrir quais as cores do
espectro que eram responsáveis pelo aquecimento de objetos, usando um
prisma para refletir a luz do sol, conclui que a temperatura aumentava a medida
que a luz passava da cor violeta para a vermelha, e a maior temperatura
ocorria na faixa do além do visível, sobre o qual Herschel nomeou de raios
caloríficos, são hoje conhecidos como raios infravermelhos.
Foi entre os anos 1916 e 1918 que o inventor Americano, Theodore Case,
obteve maiores avanços. Ele fez experimentos com detectores de
fotocondução e conseguiu produzir um sinal através da interação direta com
fótons, obtendo assim resultados mais rápidos e sensíveis. Já nas décadas de
40 e 50, essa tecnologia se expandia consideravelmente, devido as aplicações
militares. Nesse mesmo período os cientistas Alemães descobriram que era
possível aumentar o desempenho através do resfriamento do equipamento. Na
década seguinte essa tecnologia começou a ser aplicada ao uso civil,
possibilitando assim seu aperfeiçoamento e consequentemente a utilização em
setores industriais.
Rápidos avanços na tecnologia foram observados apartir de 1970. Detectores de resfriamento criogênico evoluíram para
resfriados eletricamente e, em seguida, para detectores sem
resfriamento. Os sistemas de varredura ópticos mecânicos foram
substituídos pela tecnologia de FPA (Focal Plane Array), o peso que
nos anos 70 chegava próximo dos 40 kg diminuiu para menos de 2
kg, as leituras de temperatura passaram a ser mostradas diretamente
no monitor do Termovisor e a sensibilidade térmica aumentou
consideravelmente. Após a guerra do Iraque, com o amplo uso da termografia, o uso da termografia clinica começou a ter mais  força e apartir do ano 2000 temos cameras portateis cada vez mais acessiveis para o uso clínico.

Porque os raios infraveremelhos revelam a temperatura?

Sendo a termografia, utilizada para se analisar a distribuição térmica e medir temperaturas de objetos através da detecção da radiação infravermelha, e que todos os objetos acima do zero absoluto (0° K ou -273,16°C) emitem radiação térmica devido à agitação de átomos e moléculas dos quais são constituídos, é importante se revisar conceitos básicos relacionados a aplicações físicas, principalmente relacionados a calor, temperatura e os métodos de condução de calor (ARAUJO; BARBOSA; SINISCALCHI, 2008;FLUKE, 2009; SANTOS, 2006).
A primeira lei da termodinâmica diz que quando um trabalho mecânico é transformado em calor, ou quando o calor é transformado em trabalho, a quantidade de calor e de trabalho é sempre equivalente, sendo que um produto derivado de praticamente qualquer conversão de energia é o calor ou energia Térmica (FLUKE,
2009, p. 19)

O que é emissividade?

Nicolau, Ramalho e Toledo (1999) afirmam, “todos os objetos estão irradiando (emitindo) calor continuamente. No equilíbrio térmico, a potência irradiada ou emitida por um objeto é igual à potência que ele absorve, na forma de radiação, dos objetos vizinhos”. Afonso (2010, p. 4) define “a emissividade mede a capacidade de um corpo emitir energia” e destaca os seguintes aspectos relacionados a esta propriedade: Corpo

Negro: Um objeto capaz de absorver toda a radiação que incide sobre ele em qualquer comprimento de onda. Nenhuma superfície emite mais radiação IV que um corpo negro à mesma temperatura.

Corpo Real: As superfícies só são capazes de emitir uma determinada parte da energia. O parâmetro que determina a capacidade de emissão é a emissividade. 

Emissividade da superfície: Capacidade do corpo para radiar energia na banda infravermelha.

O tecido Humano (pele) tem emissividade da surficie 0,98.

O que preciso investir para me tornar um termografista clínico?

O uso de cameras de termografia não é restrito a alguma especialidade ou regulamentado por alguma lei. Existem cursos de capacitação técnica de termologia para vários usos como na engenharia, ou construção civil, segurança, produção industrial, etc.  Um professional de saúde pode usar uma câmera de termogafia, e realizar avaliações na sua área de atuação. O médico tem a responsabilidade de um diagnóstico, em adjunto a outros exames e considerando sempre o contexto clínico e quexas do paciente. Outros profissionais como fisioterapeutas podem usar a tecnologia sem restrições, dentro da área de atuação da sua profissão.

Quem deseja realizar exames de termografia clínica, necessita:

– uma camera infravermelha, de no mínimo 76.000 pixels

– ter um software para elaborar imagens termograficas e criar relatórios (normalmente na compra da câmera acompanha um software gratuito)

– uma sala com condições de controle ambiental (temperatura, humidade) com uma distranica ideal de 4 a 5 metros entre a camera e o paciente

– ter um termohigrometro

-ter um tripe ou robot

– realizar uma pós graduação ou curso de termografia clínica

Pode solicitar uma consultoria gratuita no portal.

Como usar a ferramenta de Panorama no flir tools plus?

A ferramenta de panorama é disponível no software Flir Tools plus. A função desta ferramenta é juntar duas ou mais imagens termograficas criando uma única imagem  panoramica.
Para o melhor resultado da ferramenta de panorama seria bom considerar as seguintes condições: as imagens deveriam ser captadas pela mesma distância, com mesmo foco e mesmo zoom.  
Para criar uma imagem de panorama sobrepõe um mínimo de 30% da superficie entre as imagens sucessivas. Preferivelmente, as imagens deveriam ser levadas de pé à mesma posição.

Quem somos nós

O presente site é um portal dinâmico de informações relacionadas ao uso da termografia na área de saúde.
Pretende divulgar o método, fornecer informações úteis e ser usada como plataforma para os profissionais de saúde que atuam ou possuem interesse no método. Em uma sociedade da informação, o portal quer facilitar o acesso nas informações disponíveis para pacientes e termografistas.

Bem-vindo(a)!

o que é termografia?

A Termometria cutânea ou Termografia clínica, como é mais conhecida é o método mais inovador e moderno de diagnóstico por imagem digital da atualidade. O termo termografia vem do grego θερμό (thermo), significando calor; e γραφία (grafia),que significa escrita.
Trata se de uma técnica de registro gráfico das temperaturas de diversos pontos do corpo por detecção da radiação infravermelha por ele emitida. Isso é possível porque a energia resultante da atividade metabólica e microvascular orgânica é irradiada através da pele e captada por câmera ultra sensível com lentes especiais e tecnologia avançada de processamento de última geração.

CURIOSIDADES SOBRE TERMOGRAFIA

O que é emissividade?

Nicolau, Ramalho e Toledo (1999) afirmam, “todos os objetos estão irradiando (emitindo) calor continuamente. No equilíbrio térmico, a potência irradiada ou emitida por um objeto é igual à potência que ele absorve, na forma de radiação, dos objetos vizinhos”. Afonso (2010, p. 4) define “a emissividade mede a capacidade de um corpo emitir energia” e destaca os seguintes aspectos relacionados a esta propriedade: Corpo
Negro: Um objeto capaz de absorver toda a radiação que incide sobre ele em qualquer comprimento de onda. Nenhuma superfície emite mais radiação IV que um corpo negro à mesma temperatura.
Corpo Real: As superfícies só são capazes de emitir uma determinada parte da energia. O parâmetro que determina a capacidade de emissão é a emissividade.
Emissividade da superfície: Capacidade do corpo para radiar energia na banda infravermelha.
O tecido Humano (pele) tem emissividade da surficie 0,98.